PHP Velho Oeste 2024

Expressões

Expressões são os blocos de construção mais importantes do PHP. No PHP, quase tudo o que você escreve são expressões. A maneira mais simples e ainda mais precisa de definir uma expressão é "tudo o que tem um valor".

As formas mais básicas de expressões são constantes e variáveis. Quando você digita $a = 5, você está atribuindo 5 dentro de $a. 5 obviamente tem o valor 5, ou em outras palavras 5 é uma expressão com o valor de 5 (nesse caso 5 é uma constante inteira).

Depois desta atribuição, você pode esperar que o valor de $a seja 5 também, assim se você escrever $b = $a, você pode esperar que ele se comporte da mesma forma que se você escrevesse $b = 5. Em outras palavras, $a é uma expressão com valor 5 também. Se tudo funcionou bem isto é exatamente o que aconteceu.

Exemplos ligeiramente mais complexos para expressões são as funções. Por exemplo, considere a seguinte função:

<?php
function foo ()
{
return
5;
}
?>

Assumindo que você está familiarizado com o conceito de funções (se não estiver, dê uma olhada no capítulo sobre funções), você pode assumir que digitar $c = foo() é essencialmente a mesma coisa que escrever $c = 5, e você está certo. Funções são expressões com o valor igual ao seu valor de retorno. Como foo() retorna 5, o valor da expressão 'foo()' é 5. Geralmente, as funções não retornam apenas um valor estático, mas computam algo.

Claro, valores em PHP não tem que ser inteiros, e muito comumente eles não são. O PHP suporta quatro tipos de valores escalares: valores int (inteiros), valores de ponto flutuante (float), valores string (caracteres) e valores bool (booleano) (valores escalares são valores que você não pode partir em peças menores, diferentemente de matrizes, por exemplo). O PHP também suporta dois tipos compostos (não escalar): matrizes e objetos. Cada um desses valores podem ser definidos em uma variável ou retornados de uma função.

O PHP leva as expressões muito além, da mesma maneira que muitas outras linguagens fazem. O PHP é uma linguagem orientada a expressões, no sentido de que quase tudo são expressões. Considere o exemplo com o qual já lidamos, $a = 5. É fácil ver que há dois valores envolvidos aqui, o valor da constante inteira 5, e o valor de $a que está sendo atualizado para 5 também. Mas a verdade é que há um valor adicional envolvido aqui, e que é o próprio valor da atribuição. A própria atribuição é avaliada com o valor atribuído, neste caso 5. Na prática, significa que $a = 5, independente do que faça, é uma expressão com o valor 5. Portanto, escrever algo como $b = ($a = 5) é como escrever $a = 5; $b = 5; (um ponto-e-vírgula marca o fim do comando). Como atribuições são analisadas da direita para a esquerda, você também pode escrever $b = $a = 5.

Outro bom exemplo de orientação de expressão é o pré e o pós-incremento e decremento. Usuários de PHP 2 e muitas outras linguagens podem estar familiarizados com a notação de variable++ e variable--. Este são operadores de incremento e decremento. Em PHP, como em C, há dois tipos de incremento - pré-incremento e pós-incremento. Tanto o pré-incremento quanto o pós-incremento, essencialmente, incrementam as variáveis, e o efeito sobre a variável é idêntico. A diferença é com o valor da expressão de incremento. O pré-incremento, que é escrito ++$variable', é avaliado como o valor de incremento (o PHP incrementa a variável antes de ler seu valor, por isso o nome pré-incremento). O pós-incremento, que é escrito $variable++ é avaliado como o valor original de $variable, antes de ser incrementada (o PHP incrementa a variável depois de ler seu valor, por isso o nome 'pós-incremento').

Um tipo muito comum de expressões são expressões de comparação. Estas expressões avaliam para ser false ou true. O PHP suporta > (maior que), >= (maior ou igual a), == (igual), != (diferente), < (menor que) e <= (menor ou igual a). A linguagem também suporta um conjunto de operador de equivalência estrita: === (igual a e do mesmo tipo) e !== (diferente de ou não do mesmo tipo). Estas expressões são mais comumente usada dentro de execução condicional como comandos if.

O último exemplo de expressões com que nós vamos lidar aqui são as expressões combinadas operador-atribuição. Você já sabe que se você quer incrementar $a de 1, você só precisa escrever $a++ ou ++$a. Mas e se você quiser somar mais que um a ele, por exemplo 3? Você poderia escrever $a++ várias vezes, mas esta obviamente não é uma forma muito eficiente ou confortável. Uma prática muito mais comum é escrever $a = $a + 3. $a + 3 é avaliada como o valor de $a mais 3, e é atribuído de volta a $a, que resulta em incrementar $a em 3. Em PHP, como em várias outras linguagens como o C você pode escrever isto de uma forma mais curta, que com o tempo se torna mais limpa e rápida de se entender. Somar 3 ao valor corrente de $a pode ser escrito $a += 3. Isto significa exatamente "pegue o valor de $a, some 3 a ele, e atribua-o de volta a $a." Além de ser mais curto e mais limpo, isto também resulta em execução mais rápida. O valor de $a += 3, como o valor de uma atribuição regular, é o valor atribuído. Note que NÃO é 3, mas o valor combinado de $a mais 3 (este é o valor que é atribuído a $a). Qualquer operador de dois parâmetros pode ser usado neste modo operador-atribuição, por exemplo $a -= 5 (subtrai 5 do valor de $a), $b *= 7 (multiplica o valor de $b por 7), etc.

Há mais uma expressão que podem parecer estranha se você não a viu em outras linguagens, o operador condicional ternário:

<?php
$primeira
? $segunda : $terceira
?>

Se o valor da primeira sub-expressão é verdadeiro (true, não-zero), então a segunda sub-expressão é avaliada, e este é o resultado da expressão condicional. Caso contrário, a terceira sub-expressão é avaliada e este é o valor.

O seguinte exemplo deve ajudá-lo a entender um pouco melhor pré e pós-incremento e expressões em geral:

<?php
function double($i)
{
return
$i*2;
}
$b = $a = 5; /* atribui o valor cinco às variáveis $a e $b */
$c = $a++; /* pós-incremento, atribui o valor original de $a
(5) para $c */
$e = $d = ++$b; /* pré-incremento, atribui o valor incrementado de
$b (6) a $d e $e */

/* neste ponto, tanto $d quanto $e são iguais a 6 */

$f = double($d++); /* atribui o dobro do valor de $d antes
do incremento, 2*6 = 12 a $f */
$g = double(++$e); /* atribui o dobro do valor de $e depois
do incremento, 2*7 = 14 a $g */
$h = $g += 10; /* primeiro, $g é incrementado de 10 e termina com o
valor 24. o valor da atribuição (24) é
então atribuído a $h, e $h termina com o valor
24 também. */
?>

Algumas expressões podem ser consideradas instruções. Neste caso, uma instrução na forma 'expr ;' ou seja, uma expressão seguida de um ponto e vírgula. Em $b = $a = 5;, $a = 5 é uma expressão válida, mas não é um comando por si só. $b = $a = 5; porém é um comando válido.

Uma última coisa que vale mencionar é o valor-verdade de expressões. Em muitos eventos, principalmente em instruções condicionais e loops, você não está interessado no valor específico da expressão, mas somente se ela significa true ou false (o PHP não tem um tipo booleano dedicado). As constantes true e false (insensitivas ao caso) são seus dois valores booleanos possíveis. Às vezes uma expressão é automaticamente convertida para um booleano. Veja a seção sobre type-casting para detalhes de como isso é feito.

O PHP fornece uma implementação completa e poderosa de expressões, e a completa documentação dela vai além do escopo deste manual. Os exemplos acima devem dar a você uma boa ideia sobre o que são as expressões e como você pode construir expressões úteis. Através do restante do manual nós escreveremos expr (ou expressão) para indicar qualquer expressão PHP válida.

add a note

User Contributed Notes 12 notes

up
56
Magnus Deininger, dma05 at web dot de
14 years ago
Note that even though PHP borrows large portions of its syntax from C, the ',' is treated quite differently. It's not possible to create combined expressions in PHP using the comma-operator that C has, except in for() loops.

Example (parse error):

<?php

$a
= 2, $b = 4;

echo
$a."\n";
echo
$b."\n";

?>

Example (works):
<?php

for ($a = 2, $b = 4; $a < 3; $a++)
{
echo
$a."\n";
echo
$b."\n";
}

?>

This is because PHP doesn't actually have a proper comma-operator, it's only supported as syntactic sugar in for() loop headers. In C, it would have been perfectly legitimate to have this:

int f()
{
int a, b;
a = 2, b = 4;

return a;
}

or even this:

int g()
{
int a, b;
a = (2, b = 4);

return a;
}

In f(), a would have been set to 2, and b would have been set to 4.
In g(), (2, b = 4) would be a single expression which evaluates to 4, so both a and b would have been set to 4.
up
50
yasuo_ohgaki at hotmail dot com
22 years ago
Manual defines "expression is anything that has value", Therefore, parser will give error for following code.

<?php
($val) ? echo('true') : echo('false');
Note: "? : " operator has this syntax "expr ? expr : expr;"
?>

since echo does not have(return) value and ?: expects expression(value).

However, if function/language constructs that have/return value, such as include(), parser compiles code.

Note: User defined functions always have/return value without explicit return statement (returns NULL if there is no return statement). Therefore, user defined functions are always valid expressions.
[It may be useful to have VOID as new type to prevent programmer to use function as RVALUE by mistake]

For example,

<?php
($val) ? include('true.inc') : include('false.inc');
?>

is valid, since "include" returns value.

The fact "echo" does not return value(="echo" is not a expression), is less obvious to me.

Print() and Echo() is NOT identical since print() has/returns value and can be a valid expression.
up
21
chriswarbo at gmail dot com
10 years ago
Note that there is a difference between a function and a function call, and both
are expressions. PHP has two kinds of function, "named functions" and "anonymous
functions". Here's an example with both:

<?php
// A named function. Its name is "double".
function double($x) {
return
2 * $x;
}

// An anonymous function. It has no name, in the same way that the string
// "hello" has no name. Since it is an expression, we can give it a temporary
// name by assigning it to the variable $triple.
$triple = function($x) {
return
3 * $x;
};
?>

We can "call" (or "run") both kinds of function. A "function call" is an
expression with the value of whatever the function returns. For example:

<?php
// The easiest way to run a function is to put () after its name, containing its
// arguments (if any)
$my_numbers = array(double(5), $triple(5));
?>

$my_numbers is now an array containing 10 and 15, which are the return values of
double and $triple when applied to the number 5.

Importantly, if we *don't* call a function, ie. we don't put () after its name,
then we still get expressions. For example:

<?php
$my_functions
= array('double', $triple);
?>

$my_functions is now an array containing these two functions. Notice that named
functions are more awkward than anonymous functions. PHP treats them differently
because it didn't use to have anonymous functions, and the way named functions
were implemented didn't work for anonymous functions when they were eventually
added.

This means that instead of using a named function literally, like we can with
anonymous functions, we have to use a string containing its name instead. PHP
makes sure that these strings will be treated as functions when it's
appropriate. For example:

<?php
$temp
= 'double';
$my_number = $temp(5);
?>

$my_number will be 10, since PHP has spotted that we're treating a string as if
it were a function, so it has looked up that named function for us.

Unfortunately PHP's parser is very quirky; rather than looking for generic
patterns like "x(y)" and seeing if "x" is a function, it has lots of
special-cases like "$x(y)". This makes code like "'double'(5)" invalid, so we
have to do tricks like using temporary variables. There is another way around
this restriction though, and that is to pass our functions to the
"call_user_func" or "call_user_func_array" functions when we want to call them.
For example:

<?php
$my_numbers
= array(call_user_func('double', 5), call_user_func($triple, 5));
?>

$my_numbers contains 10 and 15 because "call_user_func" called our functions for
us. This is possible because the string 'double' and the anonymous function
$triple are expressions. Note that we can even use this technique to call an
anonymous function without ever giving it a name:

<?php
$my_number
= call_user_func(function($x) { return 4 * $x; }, 5);
?>

$my_number is now 20, since "call_user_func" called the anonymous function,
which quadruples its argument, with the value 5.

Passing functions around as expressions like this is very useful whenever we
need to use a 'callback'. Great examples of this are array_map and array_reduce.
up
15
egonfreeman at gmail dot com
16 years ago
It is worthy to mention that:

$n = 3;
$n * --$n

WILL RETURN 4 instead of 6.

It can be a hard to spot "error", because in our human thought process this really isn't an error at all! But you have to remember that PHP (as it is with many other high-level languages) evaluates its statements RIGHT-TO-LEFT, and therefore "--$n" comes BEFORE multiplying, so - in the end - it's really "2 * 2", not "3 * 2".

It is also worthy to mention that the same behavior will change:

$n = 3;
$n * $n++

from 3 * 3 into 3 * 4. Post- operations operate on a variable after it has been 'checked', but it doesn't necessarily state that it should happen AFTER an evaluation is over (on the contrary, as a matter of fact).

So, if you ever find yourself on a 'wild goose chase' for a bug in that "impossible-to-break, so-very-simple" piece of code that uses pre-/post-'s, remember this post. :)

(just thought I'd check it out - turns out I was right :P)
up
20
Mattias at mail dot ee
21 years ago
A note about the short-circuit behaviour of the boolean operators.

1. if (func1() || func2())
Now, if func1() returns true, func2() isn't run, since the expression
will be true anyway.

2. if (func1() && func2())
Now, if func1() returns false, func2() isn't run, since the expression
will be false anyway.

The reason for this behaviour comes probably from the programming
language C, on which PHP seems to be based on. There the
short-circuiting can be a very useful tool. For example:

int * myarray = a_func_to_set_myarray(); // init the array
if (myarray != NULL && myarray[0] != 4321) // check
myarray[0] = 1234;

Now, the pointer myarray is checked for being not null, then the
contents of the array is validated. This is important, because if
you try to access an array whose address is invalid, the program
will crash and die a horrible death. But thanks to the short
circuiting, if myarray == NULL then myarray[0] won't be accessed,
and the program will work fine.
up
16
winks716
16 years ago
reply to egonfreeman at gmail dot com
04-Apr-2007 07:45

the second example u mentioned as follow:
=====================================

$n = 3;
$n * $n++

from 3 * 3 into 3 * 4. Post- operations operate on a variable after it has been 'checked', but it doesn't necessarily state that it should happen AFTER an evaluation is over (on the contrary, as a matter of fact).

===========================================

everything works correctly but one sentence should be modified:

"from 3 * 3 into 3 * 4" should be "from 3 * 3 into 4 * 3"

best regards~ :)
up
10
petruzanauticoyahoo?com!ar
16 years ago
Regarding the ternary operator, I would rather say that the best option is to enclose all the expression in parantheses, to avoid errors and improve clarity:

<?php
print ( $a > 1 ? "many" : "just one" );
?>

PS: for php, C++, and any other language that has it.
up
7
denzoo at gmail dot com
15 years ago
To jvm at jvmyers dot com:
Your first two if statements just check if there's anything in the string, if you wish to actually execute the code in your string you need eval().
up
8
oliver at hankeln-online dot de
21 years ago
The short-circuiting IS a feature. It is also available in C, so I suppose the developers won?t remove it in future PHP versions.

It is rather nice to write:

$file=fopen("foo","r") or die("Error!");

Greets,
Oliver
up
7
shawnster
17 years ago
An easy fix (although intuitively tough to do...) is to reverse the comparison.

if (5 == $a) {}

If you forget the second '=', you'll get a parse error for trying to assign a value to a non-variable.
up
2
Bichis Paul
7 years ago
Regarding 12345alex at gmx dot net's example:

I think you miss the identical equal documentation line from: http://php.net/manual/en/language.operators.comparison.php

$a == $b Equal TRUE if $a is equal to $b after type juggling.
$a === $b Identical TRUE if $a is equal to $b, and they are of the same type.

Try:
print array() === NULL ? "True" : "False";

Check this:
var_dump(is_null(array()));
up
2
antickon at gmail dot com
11 years ago
evaluation order of subexpressions is not strictly defined for all operators

<?php
function a() {echo 'a';}
function
b() {echo 'b';}
a() == b(); // outputs "ab", ie evaluates left-to-right

$a = 3;
var_dump( $a == $a = 4 ); // outputs bool(true), ie evaluates right-to-left
?>

this is not a bug: "we [php developers] make no guarantee about the order of evaluation".
See https://bugs.php.net/bug.php?id=61188
To Top